Magia Negra | Feitiços | Magia para o Amor | Magia Branca | | Simpatias | Feitiços para o amor | Amarração para o amor | Trazer Amor de Volta | Simpatias | Macumba | Bruxaria | Bruxaria para o Amor | Simpatias para o amor | Trazer Amor | Macumba Amor  | Reconquistar Amor| Pessoa Amada voltar | Homem de volta| Mulher de Volta | Magia Branca Armo | ex namorado voltar | ex namorada de volta | amor de volta urgente | Amor de volta 24 horas | Magias | Mandingas  

Home

Alta Magia

Magia Branca

Magia Negra

Amarração para o Amor

Bruxaria
Feitiços
Kimbanda
Voodoo
Macumba
Encatamentos

Simpatias

Xamanismo

Cabala

Ocultismo

Umbanda

Candomblé

Oráculos Sagrados

Alquimia

Magologia

Orixás
Vodunsi
Egungun
Rezas
Amuletos
Depoimentos Reais

 

Fazer  Consulta Espiritual

 
 

 

Contato

             
     

O xamanismo é constante em diversas manifestações indígenas brasileiras. A palavra "pajé", de origem Tupi, se popularizou na literatura de língua portuguesa em referência ao xamã. Seu estudo, descrições de caso e comparação, tem sido recomendado para facilitar a implementação de práticas de assistência à saúde culturalmente adequadas no Brasil a cerca de 4.000 índios pertencentes a 210 povos sob a responsabilidade da FUNASA - Fundação Nacional de Saúde desde agosto de 1999



Xamanismo ou Pajelança – Comunicação com os encantados e entidades ancestrais através de cânticos, danças assim como nos índios Guarani Kaiová e utilização de instrumentos musicais (maracá, zunidores) para captura e afastamento de espíritos malignos tipo mamaés, anhangás. Há também a utilização do jejum, restrições dietéticas, reclusão do doente, além de uma série de práticas terapêuticas que incluem: o uso do tabaco (o pajé fuma grandes cachimbos) e outras plantas psicoativas, aplicação de calor e defumação, massagens, fricções, extração da doença por sucção/ vômito, escarificação no tórax e locais inflamados com bico, dentes de animais ou fragmentos de cristais



No Brasil rural e urbano, apesar da tradição multi-étnica dos ameríndios, observa-se a presença dessas práticas médicas-religiosas em comunhão com rituais católicos e espiritualistas de origem africana. Esse xamanismo é conhecido em algumas regiões como pajelança cabocla, culto aos encantados, toré, catimbó, candomblé de caboclo, em rituais de umbanda, culto a Jurema sagrada.

Atualmente no Brasil existem várias vertentes de neo-xamanismo ou xamanismo urbano, entre estas linhas diversos grupos se reúnem para estudar e trocar conhecimentos sobre o tema.

Xamã



O sacerdote do xamanismo é o xamã, que geralmente entra em transe durante rituais xamânicos, manifestando poderes incomuns, invocando espíritos, plantas etc., através de objetos rituais, do próprio corpo ou do corpo de assistentes e pacientes. A comunicação com estes aspectos sutis da vida pode se processar através de estados alterados de consciência. Estados esses alcançados através de batidas de tambor, danças e até ervas enteógenas.



As variações "culturais" são muitas mas, em geral, o xamã pode ser homem ou mulher, a depender da cultura, e muitas vezes há na história pessoal desse indivíduo um desafio, como uma doença física ou mental, que se configura como um chamado, uma vocação. Depois disto há uma longa preparação, um aprendizado sobre plantas medicinais e outros métodos de cura, e sobre técnicas para atingir o estado alterado de consciência e formas de se proteger contra o descontrole.



O xamã é tido como um profundo conhecedor da natureza humana, tanto na parte física quanto psíquica.

     
           
           
           
           
             
 

         
     
             

Templo Alta Magia Todos os Direitos Reservados

2001 - 2012